A terapia magnética  com o uso de pulseiras com imãs funciona pela força do magnetismo que atua nas artérias ao redor do pulso, cujos ímãs melhoram o sistema circulatório e o fluxo sanguíneo.

O aumento da circulação dá ao corpo mais nutrientes e oxigênio que o sangue necessita, melhorando a saúde naturalmente.

A terapia magnética é um tratamento alternativo popular que existe ha milhares de anos, nos levando inclusive até os faraós egípcios. O fato da terapia  já ser muito antiga, já nos da algumas pistas sobre os seus benefícios na nossa saúde.

Como as pulseiras magnéticas funcionam? Através da força dos ímãs embutidos nas pulseiras, há uma atuação e realinhamento dos campos magnéticos em nosso corpo.

Esse realinhamento não só deve melhorar a maneira como nos sentimos – especialmente se tivermos dores crônicas ou musculares específicas -, mas também a maneira como nos apresentamos.

 

Pesquisas Cientificas sobre o uso da Pulseira Magnética

Sobre os eletroquímico:  A pesquisa biomédica explica que a grande maioria das substâncias químicas biológicas dentro de nossos corpos são na verdade íons eletroquímicos.

Eles têm cargas positivas ou negativas e produzem campos eletromagnéticos. Os sinais elétricos produzidos pelos nervos são o exemplo mais conhecido de como o corpo usa íons eletroquímicos.

O cuidadoso equilíbrio de íons positivos  (sódio, potássio)  e íons negativos  (cloreto, cálcio) dentro e ao redor dos nervos mantém uma carga ligeiramente negativa. Quando disparado, o equilíbrio de íons muda e se torna mais positivo. Isso  envia um sinal de dor ao cérebro.

Durante décadas, pesquisas descobriram que todas as funções físicas e comportamentais são controladas por campos eletromagnéticos produzidos por íons. O equilíbrio e o movimento de diferentes íons sinalizam e regulam diferentes processos biológicos. E o mais fascinante é que esses íons podem ser influenciados por forças magnéticas externas.

 

Atuação da Pulseira Magnética na circulação sanguínea

Há evidências indiscutíveis de que campos magnéticos realmente constringem e dilatam as paredes dos vasos sanguíneos capilares. Esta resposta ajuda o corpo a regular a circulação sanguínea.

Os capilares se contraem para reduzir o fluxo sanguíneo próximo a áreas de lesão e trauma, diminuindo o inchaço e a dor. Quando o inchaço é removido, os capilares dilatam-se para aumentar o fluxo sanguíneo. Isso transporta oxigênio e nutrientes de maneira mais eficiente para acelerar o reparo celular.

Campos magnéticos negativos aumentam a capacidade do corpo de adaptar e regular rapidamente essas respostas biológicas. Isso leva a um maior alívio da dor e cura mais rápida.

 

Do que uma pulseira Magnética é feita?

Bio ímãs de neodímio, que são derivados da terra, mantêm sua carga indefinidamente, sem perda significativa de energia. Os ímãs são combinados com metal de titânio, porque é mais forte que o aço, mas é 45% mais leve.

Devido à sua resistência, leveza, extraordinária resistência à corrosão e a capacidade de suportar temperaturas extremas, o metal Titanium é usado para fazer pulseiras de TITÂNIO BIOMAGÉNICO com esferas FIR condutor de metal de germânio 100% puro.

Mesmo que os tamanhos e formas da pulseira variem, a eficácia permanece a mesma que os ímanes de neodímio em cada pulseira estão em torno de 2.500 Gauss a 10.000 Gauss. (Gauss é uma unidade de medida do campo magnético e recebeu o nome do matemático, físico e pesquisador magnético Kar F. Gauss)

A terapia com a Pulseira Magnética tem algum efeito colateral?

Não. A Organização Mundial da Saúde emitiu uma declaração formal confirmando que os campos magnéticos estáticos (como os usados ​​na terapia magnética) não representam nenhum risco para a saúde. Nenhuma complicação de saúde foi relatada com o uso adequado da terapia magnética.

Condições em que a terapia magnética Não deve ser usada:

Se você tiver um marcapasso, desfibrilador, bomba de insulina ou qualquer outro dispositivo eletro médico implantado.

 

  1. Se você está grávida
  2. Sobre a mesma área que recebeu uma injeção localizada de cortisona nas últimas 2 semanas.
  3. Quase patches de drogas transdérmicos  (a menos que sejam orientados por um profissional de saúde qualificado na terapia magnética)

O que são Raios Infravermelhos Longos?

Raios infravermelhos farão parte do espectro da luz solar que é invisível a olho nu. É também conhecido como raio Biogenético (entre 6 a 14 mícrons). Raios biogenéticos têm sido comprovados pelos cientistas para promover o crescimento e a saúde das células vivas, especialmente em plantas, animais e seres humanos.

Qual é o efeito dos raios infravermelhos Longos? 

FIR causa ressonância com moléculas de água. Ele ioniza e ativa as moléculas de água nas células e no sangue, melhorando assim a circulação sanguínea e o estado de saúde. O corpo humano contém mais de 70% de água em peso.

Qual é o efeito dos raios Infravermelhos longos em nosso corpo humano?

Ativa moléculas de água em nosso corpo. Melhore o nível de oxigênio em nosso corpo. Aquecendo e eliminando gorduras, produtos químicos e toxinas do nosso sangue e, assim, suavizando o fluxo de sangue. Eliminação de resíduos do corpo, reduzindo o nível de acidez no nosso corpo e melhorando o sistema nervoso.

 

O que mais os campos magnéticos podem afetar?

 

  • A glândula pineal é magneticamente sensível. Produz melatonina, o hormônio natural que promove o sono e regula o ritmo circadiano (ciclo sono / vigília).
  • As células nervosas enviam sinais de dor usando um equilíbrio cuidadoso de íons positivos e negativos. Quando esse equilíbrio muda, a carga elétrica dentro das células nervosas também muda. Campos magnéticos podem reduzir e / ou bloquear sinais de dor, ajudando a restaurar esse equilíbrio.
  • MRIs mostraram que os seios são sensíveis a magnetismo. Campos magnéticos podem ajudar a reduzir a inflamação, aliviando a dor e o congestionamento.
  • Alguns dispositivos de terapia de campo eletromagnético pulsado (PEMF) são aprovados pelo FDA para a cura de fraturas ósseas não consolidadas. Atualmente, eles são usados ​​apenas em cerca de 20% dos casos.
  • Campos magnéticos (Estimulação Magnética Transcraniana) têm sido cada vez mais utilizados e estudados para o tratamento da depressão, insônia, dependência de drogas e doença de Parkinson.
  • Estudos clínicos usando colchões magnéticos mostraram sintomas reduzidos na fibromialgia, na síndrome da fadiga crônica e na esclerose múltipla.
  • Os ensaios clínicos demonstraram que as joelheiras magnéticas podem proporcionar alívio significativo da dor da artrite e melhorar a função do joelho.
Rosangela Miller

Rosangela MillerProfessora

João Paulo

João PauloConsultor de Vendas

Raquel Conçalves

Raquel ConçalvesPsicologa

Comentários

X